História

Hospital Dr. Muricy

A história da família Muricy na medicina é uma das mais antigas de Curitiba e já está na terceira geração.

Como tudo começou...

O Hospital Dr Muricy é uma homenagem ao bisavô do seu idealizador e Presidente, Dr. José Candido Muricy, do qual herdou o nome, o empreendedorismo e o dom da medicina.

José Cândido da Silva Murici nasceu em 31 de dezembro de 1827, na cidade de Salvador, capital da Província da Bahia. Era filho de Joaquim Inácio da Silva Pereira e de Joana Francisca Pereira. Seu progenitor, era um patriota exacerbado, que participou na luta pela Independência; era do grupo de jacobinos que trocaram o nome, por outros ligados à terra. Daí seu ilustre sobrenome Murici, que figura com muito destaque, na história do Paraná.

Formou-se na Faculdade de Medicina da Bahia, em 1852. Na capital do Império o jovem médico ingressou no corpo de saúde do Exército, recebendo a sua patente em 9 de julho de 1853. Em 8 de novembro de 1853, como oficial médico, chegou em Curitiba. Em 26 de abril de 1854 foi nomeado, como vacinador Provincial, pelo primeiro presidente provincial do Paraná o Conselheiro Zacarias de Góes e Vasconcellos. O cargo equivale o que é hoje o de Secretário Estadual da Saúde.

Dr. Murici, o ilustre baiano, a quem Curitiba e todo o Paraná tanto devem, além de médico, oficial do Exército e vacinador provincial, foi também deputado provincial liberal por três mandatos. Foi condecorado com a Comenda da Imperial Ordem da Rosa. Junto com o Desembargador Agostinho Ermelino de Leão, em 25 de setembro de 1876, fundou o Museu Paranaense.

A Câmara Municipal o homenageou, através da Lei Municipal 353, de 2 de dezembro de 1912, dando o nome “Alameda Doutor Muricy”, à antiga “Rua da Assembleia”.

O bisneto José Candido Muricy, médico formado em 1968, pela Universidade Federal do Paraná, é um dos especialistas mais conceituados em cirurgia corretiva da calvície do Brasil. No início da década de 80, quando já era um cirurgião geral de renome, o Dr. Muricy começou sua especialização em cirurgia plástica, com estágios junto a cirurgiões renomados mundialmente dentre os quais estão os Drs. Antonio Costa Estima, de Porto Alegre, RS; Dr. Jaime Planas, de Bacelona, Espanha e o Dr. José Guerrero Santos, de Guadalajara, México. Iniciou na especialidade de transplante capilar em 1986 e há mais de 12 anos dedica-se exclusivamente nesta área. Sua experiência e refinada técnica lhe conferem credibilidade e reconhecimento internacional entre seus pares.

A terceira geração está representada na Dra. Maria Angélica Muricy, que aos 9 anos foi levada pelo pai ao centro cirúrgico já decidida pela carreira de médica . Formada em 1994 pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, fez residência médica em dermatologia no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Curitiba nos anos de 1995, 1996 e 1997. Após sua formação, fez cursos de especialização na Argentina e Estados Unidos e desde 1999 atua nas áreas de transplante capilar e tratamento não-cirúrgico da queda de cabelos. Sua formação prática, iniciada na fase acadêmica, foi com o próprio Dr. Muricy.

Desde 1855, quando começou a funcionar o primeiro hospital da Santa Casa, na rua Direita (atual rua 13 de Maio), que fora doado pela loja maçônica “Candura Coritibana”, o Dr. Murici era seu único médico. Foi Provedor da Irmandade de Misericórdia da Santa Casa de Curitiba, de 1866, até sua morte em 1879.

A colocação da pedra fundamental do novo Hospital de Caridade de Curitiba aconteceu em 8 de março de 1868, e a conclusão da obra aconteceu 12 anos após, em 1880. O Dr. Murici foi o idealizador e construtor do Hospital de Caridade, foi a alma e a construção dos trabalhos de construção do edifício, da supervisão direta e permanente das obras, do seu planejamento à luta por recursos junto aos poderes provinciais.

O devotamento ao hospital era tal que a Câmara Municipal fez denominar “Largo do Muricy”, ao então chamado Campo da Cruz das Almas, hoje Praça Rui Barbosa, onde o hospital estava sendo construído.

O grande benemérito provedor faleceu prematuramente, em Curitiba, aos 52 anos, em 20 de março de 1879, não tendo alcançado o término e inauguração de seu hospital. Após a morte do Dr. Murici, foi eleito para Provedor da Santa Casa o seu genro, o também baiano, militar e médico, Dr. Antonio Carlos Pires de Carvalho e Albuquerque, que concluiu as obras do Hospital de Caridade e o inaugurou em 22 de maio de 1880, com a presença do Imperador D. Pedro II.